Pontos turísticos de Nioaque

Nioaque é uma das cidades mais antigas do estado de Mato Grosso do Sul, não só de história, mais também vem crescendo em relação ao turismo.


Localizada há 175 km da Capital de MS, Nioaque sofreu duas invasões, durante a famosa Guerra do Paraguai, tornado-se um dos principais patrimônios culturais do MS.


Seu nome é de origem tupi-guarani “ANHUAC”, que em português significa “Clavícula Quebrada”, antigamente conhecida como “Nioac”, hoje é conhecida como Nioaque, existe uma explicação clara para isso, por que assim como nós, o português sempre vem sofrendo alterações. Um exemplo é a atualização na gramática do português, que letras com encontro vocálico não se coloca mais acento, como: Idéia > ideia.


Nioaque também é conhecida como “Cidade das Vogais”, também por ser a mãe da Capital do MS, Campo Grande. De Nioaque surgiu a ideia de formar uma nova Capital no Sul de Mato Grosso.

Turismo

Pegadas de dinossauros

Há muito tempo, os nioaquenses houvem falar em pegadas de dinossauros, em vista do grande potencial, tanto do turismo, quanto para estudo científico, foi criado em 2015 um núcleo do Geopark em Nioaque, com a finalidade de explorar as pegadas.

Resultado de imagem para pegadas de dinossauro em nioaque
Foto Geopark Bodoquena Pantanal

O sítio paleontológico de Nioaque é conhecido desde do final da década de 1980, quando foi descoberto pelo professor Gilson Martins da UFMS. O local fica próximo ao trecho urbano de Nioaque.

Segundo informações de cientistas, MS teria feito parte de um grande deserto da pré-história que teve no Brasil e as pegadas datam há mais de 150 milhões de anos. Em Nioaque são cerca de 200 vestígios de pegadas de diferentes espécies de dinossauros. A areia se transformou em rocha, no arenito BOTUCATU, por isso as marcas. Já vieram até mesmo pesquisadores Europeus, para visitar e estudar as pegadas.

O Vale dos Dinossauros de Nioaque, é o segundo maior da América Latina, em 2009 o sítio foi incluído ao Geopark Bodoquena/pantanal, pelo governo do estado.

Na entrada de Nioaque uma replica do abelissauro, que viveu durante o período cretáceo. Esculpida pelo artista plástico João Orcidney Xavier.

Foto: Nioaque News

Retirada da Laguna

O episódio que marcou a história ocorreu de 8 de maio a 11 de junho de 1867, onde estava localizada a então Província de Mato Grosso, hoje o Estado de Mato Grosso do Sul. Com a invasão dos paraguaios nessa região, foi estabelecida, em 1867, a Força Expedicionária Mato Grosso, sob o comando do Coronel Carlos de Moraes Camisão. Com efetivo de cerca de 1.700 homens, ele partiu em direção ao Paraguai. Após atingir a estância Laguna, em solo paraguaio, o Coronel decidiu retrair, por ter limitações de suprimento e de meios de combate, iniciando assim a “Retirada da Laguna”.

Resultado de imagem para retirada da laguna nioaque
Imagem da internet

Nioaque,  já se tornou referência no estado pela “Retirada da laguna”, a passagem da tropa paraguaia pelo povoado de Nioaque, deixou o povoado incêndiado e saqueado e prepararam uma armadilha em uma igreja para que quando a tropa brasileira, que estava em campanha, retornasse ao local. De acordo com os relatos históricos, os oponentes teriam deixado na igreja de Nioaque um barril de pólvora para explodir ao ser acionado um isqueiro, deixado propositalmente, no interior da mesma.

Na denominada Praça dos Heróis, possui um monumento construído com restos de madeira da igreja em que ocorreu a explosão. E também um canhão, dando referência a toda história aqui contada.

Córrego/Balneário Saltinho 

Do Auto Posto Tuiuiú até o córrego dá ao menos 2,35 km, a você que visitar Nioaque ou estiver passando não deixe de passar no Auto Posto e Churrascaria Tuiuiú, ótimo local para abastecer, comer e ainda comprar uma lembrança de Nioaque.

Este córrego tem uma água bem gelada fora do comum, lugar ideal para passear com a família no final de semana, com águas limpas bem rasas o córrego conta com uma pequena “Cachoeira”.

Serra de Maracaju

Para quem mora em Nioaque, principalmente no bairro São Miguel é possível avistar em tamanho amplo a Serra de Maracaju, podendo aproveitar os amanheceres bonitos que a natureza proporciona, também é conhecida por seus muitos acidentes na “Curva da Morte”.

Foto: Nioaque News

A serra de Maracaju é uma serra que divide o estado do Mato Grosso do Sul em dois, a oeste da capital, Campo Grande. A leste ficam os campos de cerrado, enquanto se inicia, a oeste, o Pantanal sul-matogrossense. As maiores altitudes da serra estão por volta de 750 metros de altura, nas proximidades do município de Aquidauana.


Então não se esqueça a hora que passar por Nioaque, de uma chegada no Centro da cidade, visite as aldeias indígenas, passe um domingo no córrego Saltinho, visite a Praça dos Heróis no Centro, temos a certeza de que será inesquecível! 


Fotos a seguir da Nioaque News